27 de maio de 2012

Seção cinematografica

Talvez eu me arrependa, Helena, mas agora preciso descobrir o que sobrou de mim mesma, não te arrastar para uma vida de comparações. Você merece coisa melhor do que alguém acampado numa encruzilhada tentando enxergar o caminho, qualquer caminho! O amor exige muito e eu tenho muito pouco para dar, nem sei se com esse pouco se faz vida, as emoções escorrem, nada penetra. Talvez eu me arrependa Helena, talvez. 
Como esquecer, de Malu Martinho