21 de dezembro de 2012

Ontem

Na mesa a xícara de café solitária
maço de cigarros em mãos
e a sensação de que o dia nunca vai acabar
notas mentais recheadas de saudade
com gosto de quero mais. 
o caos lá fora é passageiro
ou pelo menos é essa a impressão que quero ter. 
o movimento interrupto
eu como um robô sem controle 
procurando cumprir minha missão diária
de me achar e de me perder
de ter alguns minutos de lambuja para chorar
e dizer o quanto eu desteto minha vida.
logo depois, sorrir e achar que tudo é um absurdo