25 de janeiro de 2016

O vinho da solidão

Há algo no tempo, algo na gotas de chuva
e do vinho
há algo reconfortante no dia,
um fascínio secreto
como as palavras ditas e sussurradas com amor
como a música que guia os passos
na dança dos nossos sonhos de juventude
tudo o que devia ser
como algum poeta disse certa vez em lamentações
manuel bandeira creio eu,
 ―  toda uma vida que podia ter sido e que não foi
a vida não pode ser feita disso, amigo
agarro-me a algo maior e
tudo basta por alguns segundos, por breve
basta a recordação dos tempos de ternura
e a vida é revelada
e isso basta
por alguns segundos, basta.